Potencialmente e Realmente

O pai estava vendo televisão tranquilamente, quando o filho, que brincavaà sua frente, surge com uma pergunta: 

- Pai, qual a diferença entre POTENCIALMENTE e REALMENTE?


O pai pensa um pouco e responde: 

- Filho, faz o seguinte: Primeiro, pergunta à tua mãe se por 1 milhão de dólares ela faria amor o Reynaldo Gianecchini. Depois, pergunta à tua irmã se por 1milhãode dólares ela faria amor com o Brad Pitt. E, finalmente, pergunta ao teui rmão se por 1 milhão de dólares ele faria amor com o Tom Cruise. Quando metrouxer as respostas, eu te explico a diferença entre potencialmente e realmente.


Horas depois, o filho voltou e descreveu ao pai as respostas de cada um dos três: 

- A mãe disse que nunca pensou em te trair, mas que por 1 milhão de dólares, e com o Reynaldo Gianecchini, ela não pensaria duas vezes. A mana respondeu que seriam dois sonhos realizados de uma só vez: dar uma com o Brad Pitt e ainda por cima ficar milionária. E, finalmente, meu irmão disse que por 1 milhão de dólares até faria amor com o Lula, quanto mais como Tom Cruise!

Então o pai respondeu: Pois é isso, meu filho. POTENCIALMENTE, a nossa família tem condições de ganhar 3 milhões de dólares. Mas REALMENTE, vivemos com duas putas e um viado!

Cortadora de Pepinos

Enquanto isso, na fábrica de conservas...

O sujeito trabalhava há anos em uma fábrica de conservas e um dia confessou à mulher que estava possuído por uma terrível compulsão: Uma vontade incontrolável de colocar o pênis na cortadora de pepinos.


Espantada, a esposa sugeriu que ele procurasse um psicólogo, mas o marido relutou, prometendo que iria pensar no assunto. 

Foi enrolando, enrolando, enrolando e chateando a esposa com aquele assunto, até que ela falou: 

- Então coloca logo esse negócio na cortadora de pepinos, o problema é seu! 

Um certo dia, ele chegou em casa cabisbaixo, profundamente abatido: 

- O que foi que aconteceu, querido?

- Lembra-se de minha compulsão de enfiar o pênis na cortadora de pepinos?

- Oh, não! - gritou a mulher - Você não fez isso?!?

- Sim, eu fiz!- Meu Deus, o que aconteceu?

- Fui despedido.

- Mas, e você se machucou? ... E a cortadora de pepinos? Como ficou?

- Não, ela também foi despedida...

Terapia Sexual

Um português e uma garota estão apaixonados e se casam. Mas por mais que o marido se empenhe, a sua mulher nunca consegue um orgasmo.

Eles resolvem procurar um terapeuta sexual. Este ouve atentamente e acaba dando uma sugestão:

- Contrate um desses garotos de programa e enquanto vocês estiverem fazendo amor, peçam-lhe que fique pelado balançando uma toalha sobre vocês, sempre à vista de sua esposa. Isto deve ajuda-lá a fantasiar, o que deverá leva-lá a vários orgasmos.

Eles voltam para casa seguem os conselhos do terapeuta. Contratam um rapaz jovem e bonito que fica pelado abanando entusiasticamente a toalha, enquanto o casal transa.


Mas, por mais que tentem, não dá resultado o belo visual pelado, pelo que o casal volta ao terapeuta, que sugere:

- Vamos tentar o inverso para ver se o problema é físico. Hoje, deixe o rapaz transar com sua esposa e o senhor fica abanando os dois com a toalha.

Mais uma vez o casal segue o conselho do terapeuta. Contratam o mesmo rapaz que deita na cama com a mulher, ficando o marido com a toalha. O garoto de programa é realmente muito bom e a mulher grita de prazer, conseguindo múltiplos orgasmos.

Com um sorriso de satisfação,  o português marido dá um tapinha nas costas do rapaz que está sobre a mulher e diz triunfante:

- Tá vendo, 'zé mané' ... É assim que se abana!!!!!

Congresso de Mulheres

A União Internacional das Mulheres resolveu fazer uma experiência durante um ano para medir a capacidade de persuasão que as mulheres de determinados continentes exercem no lar. O teste seria feito durante o período de um ano com uma francesa, uma americana, uma australiana e uma brasileira.

No ano seguinte elas se reuniriam em um novo seminário para comprovarem os resultados. Pois bem.  Possou-se um ano e lá estavam as mulheres reunidas no seminário da União Internacional das Mulheres:

- Chamo ao palco a representante francesa – Disse a presidenta do congresso.
- Então, minhas colegas, cheguei em casa após aquela reunião do ano passado e disse ao meu marido:  “Não cozinharei mais dentro dessa casa” - Declarou a representante Francesa.
- E o que aconteceu? O que aconteceu? - Perguntava a platéia feminista presente no seminário.
- Bem! No primeiro dia eu não vi nada. No segundo também não vi nada. No terceiro dia ele começou a comprar comida fora. Em um mês ele percebeu que seria mais viável contratarmos uma cozinheira. E hoje, nós somos donos de uma das maiores redes de restaurantes da França. – Respondeu a francesa. E a platéia foi ao delírio com o resultado.

- Agora chamo ao palco a companheira americana. – Convocou a presidenta.
- Amigas presentes, vos digo que cheguei em casa após aquela reunião do ano passado e disse ao meu marido: “Não lavarei mais roupas dentro dessa casa”. – Disse a americana.
- Ohhh!
– Gritou a platéia esperando uma resposta.
- Bem! No primeiro dia eu não vi nada. No segundo também não vi nada. No terceiro dia ele começou a levar a roupa para uma lavanderia. Em um mês ele percebeu que seria mais viável contratarmos uma lavadeira. E hoje, nós somos donos de uma das maiores redes de lavanderia dos Estados Unidos. – Respondeu a americana. E a platéia gritava de êxtase com os resultados.

- Agora chamo a companheira australiana. – Chamou a presidenta.
- Bem, cheguei em casa após aquela reunião do ano passado e disse ao meu marido: “Não cuidarei mais das crianças nessa casa”. – Disse a australiana.
- Ooohhhhh!
– Gritava mais ainda a platéia esperando a resposta.
- Bem! No primeiro dia eu não vi nada. No segundo também não vi nada. No terceiro dia ele tentou cuidar das crianças matando o trabalho. Em um mês ele percebeu que seria mais viável contratarmos uma babá. E hoje, nós somos donos de uma das maiores redes de baby sitter da Austrália. – Respondeu a australiana. A platéia gritava aos prantos de tanta emoção e conquista com todos esses resultados.

- Por último eu chamo agora ao palco a companheira brasileira. – Convocou a presidenta.
- Bem, cheguei em casa após aquela reunião do ano passado e disse ao meu marido: “Não lavo mais, num passo mais, não cozinho mais e nem cuido mais das crianças nessa por$$@ dessa casa”. – Exclamou a brasileira. A platéia ficou estagnada com o radicalismo da companheira brasileira, já comemorando com o que seria a resposta.
- E o que aconteceu?  – Perguntou a presidenta.
- Bem! No primeiro dia eu não vi nada. No segundo também não vi nada. No terceiro ainda nada. No quarto dia, quando os meus olhos começaram a desinchar . . .